Voz do MS

Geral

Cachorros escapam de chácara e atacam mulher que fazia caminhada

Redação

[Via Correio do estado]

Vendedora Marlene Moslaves, 56 anos, foi atacada por dois cachorros enquanto fazia caminhada na Avenida Lúdio Martins Coelho, em Campo Grande. Na tentativa de escapar dos animais, ela caiu de costas e quebrou os dois punhos.

Incidente aconteceu no dia 6 de março, próximo a Base Aerea de Campo Grande. Marlene disso ao Portal Correio do Estadoque fazia caminhada, por volta das 5h30, quando os animais espacaparam da chácara através de um buraco na tela que cerca a propriedade.

“Passei em frente a chácara e os cães me atacaram. Furaram a tela e quando pisei na pista eles me avançaram. São três cachorros na chácara, mas só dois me avançaram. Fiquei nervosa e fui para o meio da rua, batendo neles com um chapéu, mas cai e quebrei os dois pulsos”, disse Marlene. Ela afirmou não saber a raça dos animais, mas que se tratam de cachorros de grande porte.

A vendedora de veículos está afastada há dois anos de sua profissão devido a um câncer de mama. A caminhada foi sugerida pelo médico como parte do tratamento e, por não poder pegar muito sol, ela optou por fazer durante o início da manhã. O ataque aconteceu no terceiro dia que fazia o exercício.

A pista de caminhada fica localizada às margens da avenida, que também conta com uma pista de ciclismo no canteiro central.

Após a queda, Marlene tentou pedir socorro a um ciclista que passava pelo local, porém, como estava nervosa e “desesperada”, ela acredita que o rapaz pensou se tratar de uma armadilha para assalto e não parou para ajudar.

Vítima precisou caminhar até sua residência, no bairro União, onde pediu ajuda para familiares, que a levaram até o hospital. Por conta das fraturas, ela precisou passar por cirurgia para colocação de placas.

Marlene disse ainda que registrou boletim de ocorrência por conta do ataque, já que os animais estavam sem cuidados ou supervisão dos donos. O registro foi feito na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro, que investigará o caso, registrado como omissão de cautela na guarda ou condução de animais.

“Fiz o boletim de ocorrência e a denúncia porque é um lugar que passam bastante pessoas idosas fazendo caminhada, crianças, e é um lugar de muito movimento. A casa fica no fundo da chácara, se os cachorros matarem alguém os donos nem vão ver”, explicou Marlene.

Deixar em liberdade ou não guardar com a devida cautela animal perigoso é contravanção penal, prevista no artigo 31 da Lei de Contravenções Penais, com pena prevista de prisão simples, de dez dias a dois meses, ou multa.

Comentários

Últimas notícias