Voz do MS

Geral

Tumulto e correria marcam mais uma edição do vestibular da UFMS

Redação

[Via Correio do Estado]

Trânsito congestionado, tumulto, correria e muito desespero marcaram a entrada para o primeiro vestibular independente da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) que aconteceu neste domingo (1) em Campo Grande. As provas também acontecem em outros polos da cidade, além dos 11 municípios do Estado em que a UFMS possui unidades como Corumbá e Aquidauana por exemplo.

Neste ano, o vestibular da UFMS teve mais de 15 mil inscritos – 40% a mais do que o ano passado- e para 2020 foram oferecidas 2.139 vagas, entre os 115 cursos, para a modalidade do vestibular. Mesmo com a volta  do vestibular, o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa de Avaliação Seriada Seletiva (PASSE) também são modalidades de entrada na instituição de ensino.

Entre os cursos da UFMS, os mais concorridos no vestibular 2020 são medicina no câmpus de Campo Grande, com 120 candidatos por vaga, medicina em Três Lagoas, com 83,25 candidatos por vaga, psicologia, com 28,35 candidatos por vaga, medicina veterinária, com 27,25 candidatos por vaga, direito noturno, com 24,58 candidatos por vaga, odontologia, com 23,55 candidatos por vaga, e direito integral, com 19,54 candidatos por vaga.

Mesmo com meia hora antes de começar a prova, o engarrafamento que formou na Avenida Costa e Silva rumo a entrada principal da universidade foi o suficiente para que os candidatos terminassem de chegar ao local da prova a pé, ou dependendo do bloco, correndo mesmo. Filas quilométricas com carros de outras cidades já haviam se formado próximo ao Corpo de Bombeiros da avenida e o jeito mesmo foi ir andando.

A reportagem do Correio do Estado acompanhou os estudantes que precisaram andar por pelo menos 1 km do local da prova.

Congestionamento grande na Avenida Costa e Silva- que da acesso a universidade.

Pela primeira vez, a estudante Maria Eduarda de 17 anos foi uma das candidatas que estava na corrida. Se preparando a pelo menos três anos, Maria pretende cursar medicina na universidade. “Estou com grandes expectativas, correndo para chegar no horário, mas estou bem confiante da prova”, disse a estudante.

Correndo pela calçada da universidade, Fernanda Santos, de 19 anos, vai prestar o vestibular da UFMS pela segunda vez. Ela que fez o Enem neste ano, contou que avaliou a prova como incompatível com o conteúdo do ensino médio e vai colocar as esperanças neste vestibular da universidade federal. “Eu estou muito ansiosa para chegar e também bastante nervosa, eu me preparei, espero que dê tudo certo”, contou a jovem.

Para algumas candidatas que já  estavam na universidade a 15 minutos de começar a prova, o grande desafio foi encontrar o bloco e a sala selecionados. Mesmo com localização, o nervosismo foi tanto que grupo de mais de seis candidatas ficaram paradas no meio da rua tentando procurar um mapa para se localizarem. Faltando 10 minutos cada estudante correu para um norte da universidade tentando chegar a tempo.

Não havia funcionários específicos para auxiliar os alunos em relação à inscrição ou local de prova, apenas seguranças de empresa privada estava ajudando com informações básicas onde cada bloco fica.

NA TORCIDA

Em frente ao bloco multiuso onde estavam os inscritos para o curso de Medicina, alunos veteranos da atlética do curso estavam vendendo kits com caneca e chocolate e motivando os candidatos e possíveis calouros do curso. Até o mascote da universidade, a capivara também estava no local recepcionando os candidatos.

FOI POR POUCO

Nesta edição, pelo menos nos dois blocos em que ocorria as provas de medicina não houve atrasados, mas foi por pouco. Faltando apenas cinco minutos para o fechamento das portas, um dos candidatos estava caminhando bem devagar rumo a porta e foi motivo de piada dos estudantes que aguardavam do lado de fora “esse é tranquilo demais, já passou”, disse uma das veteranas.

Já outra candidata passou por pouco, faltando apenas dois minutos para começar a prova, ela correu muito e foi a última a entrar no bloco.

Comentários

Últimas notícias