Voz do MS

Polícia

Rastros digitais vão ajudar no caso de aluno estuprado por professor de teatro

Redação

[Via Midiamax]

Rastros digitais devem ajudar a Polícia Civil a encontrar imagens do abuso cometido contra o menino de 12 anos estuprado pelo professor, em Campo Grande. Além de contatos de possíveis outras vítimas do autor.

A polícia aguarda a autorização da Justiça para a perícia no material apreendido na casa do professor no último domingo (10), quando ele foi preso em sua residência e confessou o crime. No local foram encontrados celular, computador, pen drives e dois hd’s externos que foram levados pela polícia.

O celular onde a mãe do menino encontrou as conversar do filho com o professor foi entregue de livre espontânea vontade por ela e já será analisado pela polícia. O caso foi descoberto pela mãe do garoto no sábado (9) a noite quando ela resolveu olhar o celular do menino, após ele adormecer.

No celular, a mãe encontrou as mensagens obscenas trocadas entre o professor de teatro e o filho. A mãe então questionou o adolescente sobre o que teria acontecido e o menino então contou, que no sábado ao voltar da aula como de costume, o professor teria dado carona a ele. No meio do caminho então o autor teria parado o carro e pediu ao garoto para baixar a bermuda, e teria praticado sexo oral nele.

No domingo (10), a mãe foi até uma delegacia de polícia para registrar o estupro, quando o delegado fez o pedido de prisão do professor. O adolescente seria aluno do autor há cerca de 1 ano e já teria se afastado outras vezes por sofrer abusos, mas retornava o contato com medo de perder a vaga nas aulas.

Ontem (segunda), o autor passou por uma audiência de custódia onde foi determinada a prisão preventiva e ele encaminhado ao Instituto Penal de Campo Grande. A acusação é de estupro de vulnerável cuja pena pode chegar a 15 anos de reclusão em caso de condenação.

Comentários

Últimas notícias

Colunas