Voz do MS

Polícia

Jovem carbonizado passou por “tribunal do crime” por postar foto no Facebook

Redação

[Via Correio do Estado]

Corpo que foi encontrado carbonizado dentro de Fiat Uno no último domingo (18) foi identificado. A suspeita é de que a vítima, Edgar Nunes da Silva de 22 anos foi amarrado, esfaqueado no pescoço e morto porque postou foto no Facebook fazendo alusão ao Comando Vermelho (CV), facção criminosa que atua em Campo Grande. De acordo com delegado Leandro Costa de Lacerda, a vítima teria passado pelo “tribunal do crime” antes de morrer e a suspeita é de que a ordem para a execução veio de interno do Presídio de Segurança Máxima.

O carro foi encontrado pela polícia em estrada próxima a Rua Elias Catan, no Jardim Anache, em Campo Grande. Policiais estavam fazendo ronda na região e encontraram o veículo queimado com cadáver no banco de trás do automóvel. De acordo com informações da mãe da vítima, Edgar estava sendo ameaçado por ter postado foto há cinco anos.

O delegado informou que estão sendo investigados cinco suspeitos de terem cometido o crime e três deles já foram pegos. Paulo Henrique da Silva Lemes, 18 anos, e Fernando Barbosa da Silva, 29 anos, foram presos em residência localizada no bairro Tarsila do Amaral, local onde teria acontecido o tribunal do crime. Um adolescente de 16 anos também foi pego e apreendido pela polícia, junto com os outros dois suspeitos. Todos os envolvidos tem passagem pela polícia, até mesmo a vítima.

Os investigados fazem parte do Primeiro Comando da Capital (PCC), facção rival do Comando Vermelho (CV).
Tanto os presos como a vítima moram no mesmo bairro. De acordo com a mãe de Edgar, na última sexta-feira (16) ele teria ido até a casa dos dois investigados para tentar resolver o problema, mas acabou não voltando. Em decorrência do sumiço do filho, ela registrou boletim de ocorrência no sábado (17).

A suspeita é de que Edgar seja a quarta vítima de lista de execução do PCC apreendida pela polícia em junho deste ano, em Campo grande. Todas as “juras de morte” teriam sido motivadas decorrente de foto postada nas redes sociais.

Comentários

Últimas notícias