Voz do MS

Economia

Inflação de julho aumenta 0,73% em Campo Grande, impulsionada principalmente por aumento da gasolina

Redação
O grupo Despesas pessoais foi o único que apresentou queda, mantendo índice de -0,01%

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês de julho subiu 0,73% em Campo Grande. Índice de 0,50 ponto percentual (p.p)acima da variação observada em junho, de 0,23%.

O número contrasta com o resultado de julho de 2019, quando o IPCA registrou queda de -0,01%. No ano, o indicador acumula alta de 1,07%. No Brasil, o IPCA de julho foi de 0,36%.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito apresentaram alta em no último mês. O maior impacto, de 0,35 p.p., foi da categoria Transportes, com 1,72%.

Os preços do item de combustíveis, aumentaram 2,75%. O destaque foi do subitem gasolina, com 2,83%, que apresentou o maior impacto individual no índice do mês, com 0,19 p.p.

Depois da categoria Transportes, o maior índice de ponto percentual foi do grupo Habitação, com 1,21%, que acelerou em relação ao resultado de junho (0,04%) e contribuiu com 0,18 p.p.

Alimentação e bebidas  

A alimentação para consumo no domicílio apresentou alta de 0,13%. O maior impacto positivo, de 0,15 p.p., foi das carnes, cujos preços subiram 3,71%.

Outros alimentos importantes de cestas básicas, como o leite longa vida, teve aumento de 3,05%; o arroz, 2,78%; e as frutas, 0,95%.

Já os que registraram queda foram, principalmente, a batata-inglesa, com -34,19% foi a maior contribuição individual negativa no IPCA de julho com -0,0850 p.p.; além do tomate, com -23,77%;  e da cebola, com -12,09%.

Já a alimentação fora do domicílio registrou queda de 0,13 %, influenciada pelo resultado do subitem lanche, -0,25%. O subitem refeição também registro queda de 0,08%.

Saúde e higiene

O grupo saúde e de cuidados pessoais teve alta de 0,51% na variação mensal e o índice foi  impactado em 0,07 p.p., que foi influenciado pelo aumento no item produtos farmacêuticos, de 1,53%.

Os itens que tiveram destaque foram: antigripal e antitussígeno (3,07%), hormonal (3,23%) e hipotensor e hipocolesterolêmico (3,96%).

Em relação aos produtos de higiene pessoal, a ênfase é para o subitem perfume, que em junho havia registrado queda de 3,02%, e em julho teve aumento de 3,22%.

Já a variação mensal dos subitens óculos de grau, com -3,97%, e dos artigos de maquiagem, -3,43%, representaram as principais baixas.

Cálculo  

Foram comparados os preços coletados no período de 1º a 28 de julho de 2020 com os preços vigentes no período de 29 de maio a 30 de junho de 2020 para o cálculo do índice do mês.

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de 1 a 40 salários mínimos, e abrange dez regiões metropolitanas do país.

Via Correio do Estado

Comentários

Últimas notícias