Voz do MS

Política

Alvo de operação, Azambuja não aparece no debate da Fetems

Redação

[Via Correio do Estado]

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), não compareceu ao debate realizado pela Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems), marcado para hoje (12), às 14h15, na sede da federação.

Trabalhadores em educação lotaram o auditório da instituição e questionavam em coro sobre a presença do chefe do executivo estadual. “Cadê o Reinaldo? Cadê o Reinaldo?”, perguntavam os presentes.

A vice-presidente da Fetems,  Sueli Veiga Melo, informou aos presentes que até o começo da manhã desta quarta-feira (12), todos os candidatos confirmaram a agenda. “Esperamos que todos estejam presentes antes do término do debate”, observou.

Azambuja é investigado na operação Vostok deflagrada no começo da manhã (12), pela Polícia Federal de Mato Grosso do Sul. Agentes foram  até a casa do governador e na governadoria em busca de documentos que não foram especificados.

OPERAÇÃO VOSTOK

As investigações tiveram início neste ano, e tiveram como ponto de partida delação de empresários do grupo JBS.

A ação envolve 220 policiais federais que cumprem 220 mandados de busca e apreensão, 14 de mandados de prisão temporária em Campo Grande, Aquidauana, Dourados, Maracaju, Guia Lopes da Laguna e na cidade de Trairão (PA). Os mandados foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O inquérito da PF apontou que até 30% dos créditos tributários (incentivos fiscais ao grupo JBS) eram revertidos em proveito do grupo, que os policiais federais chamam de “organização criminosa”.

A Operação da Polícia Federal foi denominada “Vostok”, o mesmo de uma estação de pesquisa da Rússia na Antártida e, segundo a PF, tão fria quanto as notas utilizadas para lavar a propina da JBS.

As propinas foram pagas por meio de doação eleitoral para a campanha de 2015, e também em espécie, nas cidades de São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ), em 2015.

Comentários

Últimas notícias